Triathlon do Exército contado por Walmyr Zanotti

Triathlon do Exército

Triathlon do Exército contado por Walmyr Zanotti

Hoje, com 76 anos de idade, Walmyr José Zanotti se orgulha de ter participado das 32ª edições anteriores, e está preparado para encarar mais esta edição, que acontecerá no próximo domingo, dia 19/08/2018.

O atleta master conta que sempre praticou diferentes modalidades esportivas, como remo, natação, corrida de rua. Mas em 1985, quando surgiu o Triathlon do Exército, resolveu se aventurar neste esporte e se rendeu aos encantos do triathlon.

Desde então, em seu longo currículo esportivo, encontram-se registradas inúmeras participações em provas de triathlon por todo o país e até mesmo no exterior. E a paixão não se limitou às competições, Walmyr já foi até vice-presidente da Federação Capixaba de Triathlon.

Entretanto, sua competição alvo anual é, e sempre foi, o Triathlon do Exército. Esta prova é considerada um dos eventos de triathlon mais tradicionais da América Latina, e tem seu valor reconhecido pela comunidade triatlética.

Inicialmente a prova acontecia dentro do 38º Batalhão de Infantaria, localizado em Vila Velha, e Walmyr conta que era muito mais emocionante quando era lá. Por conta do aumento do número de participantes, passou a acontecer na Orla de Itaparica. Mesmo com novo endereço, a prova não perdeu o seu charme, principalmente pela participação da Banda do Exército, ressaltou Walmyr.

O mar de Itaparica assusta um pouco quando está de ressaca. Quem já experimentou nadar por lá, provavelmente se deparou com grandes ondas. “Há uns 2 ou 3 anos atrás, o mar estava realmente bravo, e muita gente desistiu. E não foi o mais velho. Eu não desisti”.

Já no novo local, o percurso de 20km de ciclismo passou por alterações, antes se estendia até a Praia da Costa, mas nas últimas edições ficou limitado à Praia de Itaparica e distribuindo a quilometragem em 6 voltas curtas. “Eu gostava mais quando ia até lá na Praia da Costa. Desse jeito agora tem uns retornos muito apertados, mas estou acostumado”.

Nessas 32 edições, o Triathlon do Exército foi Copa Continental, Campeonato Sul Americano, Campeonato Ibero Americano, Copa Brasil, sempre trazendo muita gente de fora para participar do evento. E, no decorrer desta história, Walmir fez vários amigos, de diferentes Estados. “Nos últimos dois anos, competi sozinho na minha categoria”, lamenta Walmyr, não sabendo por onde andam seus colegas.

Questionado sobre a longevidade no esporte, o triatleta conta que é essencial gostar da modalidade para se permanecer tantos anos praticando, e se manter sempre bem condicionado. Walmyr pratica constantemente vôlei adaptado à terceira idade, além das modalidades que envolvem o triathlon. “Praticamente todos os dias eu tenho alguma atividade. Não é mais naquele ritmo de 10 anos atrás, depois dos 60 e poucos a gente vai diminuindo um pouco”.

A dica do experiente para os novatos: “Tenha calma, mantenha-se naquilo que está treinado e não se empolgue com o adversário ao lado. Faça aquilo que você sabe que vai completar bem. E nunca desista!


Matéria por Hellen Fante, colaboradora da Revista Alltrinews. Revisão por Alessandro Frizzera, editor da Revista Alltrinews.

COMPARTILHAR